Pular para o conteúdo

O que faz um(a) psicanalista?

Para entendermos o que faz um(a) psicanalista, precisamos entender o que é psicanálise. A psicanálise é a plena explicação do funcionamento da mente humana, é o reconhecimento de que somos regidos por uma grande parcela inconsciente da mente motivada por duas pulsões instintivas: de vida e de morte. 

Cada uma dessas pulsões exige gratificação constante. A sociedade, no entanto, não permite a expressão e a gratificação dessas pulsões, obrigando assim sua repressão. A consequência da repressão das pulsões é o surgimento de sintomas.

Esses sintomas podem ser (sem se limitar a estes): 

  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Bipolaridade;
  • Fobias;
  • Pânico;
  • Sonhos;
  • Atos falhos;
  • Estratégias neuróticas para compensar a ansiedade (hostilidade, necessidade de afeto, isolamento etc.);
  • Somatizações (doenças físicas com origem na psique).

O que faz então um(a) psicanalista?

Psicanalistas permitem que seus clientes expressem e ressignifiquem as pulsões reprimidas. Na clínica psicanalítica, o(a) cliente será instruído(a) a falar livremente, sem qualquer juízo moral ou cultural, permitindo assim a manifestação de todo conteúdo que a sociedade e a cultura reprimem. Este processo permite que o(a) cliente conheça o que é verdadeiramente em essência, oferecendo ferramentas para a ressignificação de seus sintomas. 

Tânatos (do grego: Θάνατο) no templo de Ártemis – escultura em mámore 325−300 Antes da Era Comum

O que NÃO faz um psicanalista

  • Um(a) psicanalista não receita remédios de qualquer natureza;
  • Um(a) psicanalista não faz diagnóstico. Isto é, um(a) psicanalista não categoriza seus clientes sob qualquer nomenclatura de psicopatologias;
  • Um(a) psicanalista não pode sugerir aos seus clientes que busquem “ajuda” de qualquer outro(a) profissional;
  • Um(a) psicanalista não pode orientar. Exemplos de frases que o(a) psicanalista não diz: “perdoe seu esposo”, “tenha mais paciência”, “faça isso”, “faça aquilo” etc. 
  • Um(a) psicanalista não pode aplicar qualquer técnica que não seja a atenção flutuante em resposta da livre associação executada pelo cliente;
  • Um(a) psicanalista não faz fichas ou anotações de qualquer natureza sobre seus clientes;
  • Um(a) psicanalista não faz qualquer julgamento do quadro apresentado pelo cliente, uma vez que o “sofrimento” é visto como realização pulsional e, consequentemente, uma tentativa de obter gratificação. 

Conclusão

Um(a) psicanalista apenas ouve. Não dá orientações, não faz diagnósticos e não receita remédios. Um(a) psicanalista não utiliza qualquer outra técnica além da atenção flutuante em resposta à livre associação. Isto é: um(a) psicanalista não receita remédios ou florais, não usa cristais, não faz preces a instituições tangíveis ou não. 

Quer aprender mais sobre psicanálise? Inscreva-se agora

10 comentários em “O que faz um(a) psicanalista?”

  1. Psicanálise vai abrir o seu Horizonte e te estabelecer com segurança na sua vida e do seu paciente / cliente. A SOMATA é a Escola de Psicanálise que faz você enxergar de forma consciente, com seu inconsciente! Agusa o pensar e o Agir de forma inteligente e com sabedoria .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress
× Fale conosco